História da Língua Portuguesa

A LINGUA É VIVA

Compreender as mudanças na fala e na escrita, ocorridas naturalmente ou por causa de leis, é sentir de perto o idioma em movimento.

A linguagem começa como um sopro. O ar que vem dos pulmões é modelado por inúmeras possibilidades de abertura da boca e movimento dos lábios e da língua. Sobe, desce, entorta, recolhe. A cada mexida são formadas vogais, consoante, sílabas, palavras. Se você tivesse nascido e crescido isolado de outros seres humanos, provavelmente emitiria apenas gemidos.

Apesar de ninguém saber exatamente quando surgiram os idiomas, há algumas certeza: a língua é viva, acompanha um povo ao longo dos tempos, expressando uma maneira de organizar o mundo em nomes e estruturas linguísticas, mudando e reiventando-as com as pessoas.

As transformações acontecem nas ruas e nos prédios de grandes instituições, na linguagem dos sermões, das palestras, dos discursos de políticos e de advogados (com seus vocabulários tão particulares). As mudanças também ocorrem na escrita, seja aquela feita com a ponta do lápis, na máquina de escrever ou no computador. Das poesias aos documentos, nada permanece igual por muito tempo. Existem as alterações que vêm naturalmente e ainda as que são determinadas por lei, como é o caso do Acordo de Unificãção Ortográfica, elaborado em 1990 que pretende aproximar as maneiras de escrever de todos os países que têm o Português como idioma oficial
 
Disponível em:
http://revistaescola.abril.com.br/lingua-potuguesa/pratica-pedagogica/lingua-viva-423717.shtml. Acesso em 10/03/10.

Esse site foi elaborado em conjunto pela turma de Letras com Português e Letras com Inglês e tem por objetivo mostrar aspectos referente aos períodos históricos pelos quais a Lingua Portuguesa passou até chegar aos dias atuais.

Seja bem vindo!